Transformação digital. Jogado assim no papel, esse parece um conceito antigo. Afinal, há quanto tempo se ouve falar em revolução digital, que o mundo mudou, que agora tudo é feito no computador, no celular, na nuvem? Mas não é só isso. Transformação Digital (TD) é muito mais.

Transformação Digital é o processo onde as empresas usam a tecnologia para melhorar seu desempenho, não só trazendo para o mundo digital o que está no papel, mas conectando, integrando e sincronizando todo o caminho produtivo. Trata-se de organizar os dados da corporação, de modo que eles interajam entre si. “Muitas vezes a empresa está digital, ou seja, usa diversos sistemas, mas não está transformada, pois seus processos não estão organizados”, explica Gilberto Costa, Diretor de Inovação e Gestão do Conhecimento da AnalisaBR.

Está difícil ainda? Vamos ser mais claros. “TD não é apenas usar TI como estratégia, pois esse direcionamento não provocou transformação digital”, sentencia Costa, para surpresa de muita gente. Trata-se de uma orquestração, que também pode ser chamada de automação digital, ou sequenciamento digital. “É pegar todas as tarefas operacionais do negócio e sequenciá-las num fluxo que trata dados e gera informação (indicadores). Dá condições de medir as etapas, identificar falhas e atrasos e deixar o processo linear, visível para o usuário. É empregar tecnologia para executar tarefas operacionais e liberar as pessoas para buscar melhorias e inovação nos processos do negócio”, esclarece o Diretor da AnalisaBR.

Com a TD, qualquer pessoa pode enxergar a trilha produtiva de uma corporação. Com base nessas informações, os gestores analisam se aquele caminho é o mais eficiente. O gestor vai poder fazer uma nova versão deste caminho, aprimorando o processo. É uma forma de orquestrar pessoas, sistemas e dados e, inclusive, identificar processos repetitivos que possam ser feitos por um robô de software.

Mas sua empresa precisa de TD? “Normalmente as pessoas não sentem falta do que não conhecem”, admite Costa. “Mas é preciso que os empresários brasileiros se sensibilizem para a importância da TD antes que seja tarde, sob risco de a corporação perder a competitividade”, alerta.

Empresas transformadas digitalmente são capazes de antecipar decisões baseadas em dados e informações, evitando prejuízos. Por exemplo, a companhia deve ser capaz de acompanhar a jornada do cliente nos processos internos, de forma a causar uma experiência individualizada e ter a visão geral das interações de cada cliente com seu negócio.

A TD também permite a automação de algumas tarefas que se repetem, transferindo a atividades manuais para um robô de software. Muitas corporações têm pessoas dedicadas a gerar informação coletadas de diversos sistemas legados da empresa, bem como dados e informações públicas disponíveis na internet. Essas atividades são repetidas diariamente e podem ser executadas por um robô de software que irá se dedicar 24 x 7 ao cumprimento deste tipo de tarefa, com evidente aumento de produtividade.

AnalisaBR traz a Transformação Digital para as corporações 

Para orquestrar essa transformação nas corporações, a Toccato fundou a AnalisaBR, capaz de transformar digitalmente setores de empresas, desenvolvendo processos de negócio complexos e estratégicos em até três semanas. Todo esse processo é implantado com ajuda de soluções disponibilizadas pela AnalisaBR em busca de simplicidade, rapidez e eficiência, explica Vania Rios, CEO da empresa.

A AnalisaBR que é uma empresa que tem como direcionador a Transformação Digital, um assunto que todas as empresas precisam tratar de alguma forma.

Nas últimas décadas do século XX, a manufatura iniciou o processo de robotização do chão de fábrica. Foi a saída para permanecer no jogo competitivo, aumentando a produtividade e reduzindo custos. Agora, todos os negócios estão passando pelo mesmo processo. Isso é a TD e as empresas precisam despertar para a iminência dessa era digital e seguir nessa jornada transformadora.

A TD não é algo a ser tratado cirurgicamente, como um projeto isolado na companhia. TD é a resposta que permite operar na velocidade que o mercado exige, escalando o negócio e permitindo lidar com as expectativas crescentes dos clientes por agilidade e experiências individualizadas.

A TD tem três itens chaves:

  1. Agilidade para construir aplicativos que entreguem novas funcionalidades, fazendo fluir os processos de negócio pela orquestração de pessoas, sistemas e dados, sem perder os investimentos em sistemas legados.
  2. Agilidade para avaliar o que funciona e o que não funciona
  3. Agilidade para executar mudanças com base em indicadores e feedback

A AnalisaBR entrega a Appian Platform, que reúne quatro ferramentas essenciais à TD. Combinando low-code+iBPM, traz a agilidade para construir aplicativos personalizados para o negócio, que podem ser complementados com as ferramentas de Case Management e RPA (Robotic Process Automation). Os aplicativos serão desenvolvidos de 5 a 20 vezes mais rápido – segundo avaliação do Gartner e do Forrester – do que se consegue produzir hoje, automaticamente adaptado a dispositivos móveis, suportando os processos do negócio e trazendo inteligência para a operação.

Como fazer isso acontecer?

A AnalisaBR segue a máxima “pensar grande, começar pequeno e crescer rápido”. Parte de um processo de menor complexidade e alto nível de exposição aos usuários da companhia. O sucesso nessa primeira etapa – que envolve entrega rápida, com participação da área de tecnologia e dos usuários de negócios e uso intenso por usuários/clientes – impulsiona a mudança cultural necessária à jornada da TD.

Com a mudança cultural iniciada, processos automatizados e usuários/clientes com experiências individualizadas, damos continuidade à orquestração da Transformação Digital, acoplando ferramentas de Analytics, plataforma de análise de dados em tempo real e algoritmos de ML (Machine Learning) e IA (Inteligência Artificial), cumprindo os três itens chaves da TD.

Interagindo com o usuário no modo arrastar e soltar, a plataforma Appian – que é o motor da TD – está em constante desenvolvimento, sem mudar a forma como se relaciona com o usuário. Assim, se mantém imune às ondas de criação e destruição de frameworks de desenvolvimento, que ocorrem em média a cada dois anos, demandando novos investimentos do cliente. Cessam os investimentos em refazer sistemas para que continuem funcionando e o foco se volta para a inovação e desenvolvimento de novas funcionalidades.

A plataforma Appian se mantem no quadrante de líder nas funcionalidades de Low-code, iBPM, Case Management e RPA (Gartner e Forrester), sempre incorporando inovações no seu desenvolvimento.

Também dispensa investimentos em hardware, já que fica hospedada na nuvem, permitindo ao cliente manter seus dados on-premises. A segurança é garantida pelo fabricante e atestada pelos diversos clientes mundiais que prezam especialmente por este item, como empresas do setor financeiro (entre elas Bank of America, Barclays, Goldman Sachs, Santander e S&P Global Market Intelligence) e corporações ligadas às ciências da vida, como a Federal Droug Administration (FDA), Bayer, Sanofi, Merck e Boehringer Ingelheim.

E aí, está pronto para entrar nessa onda transformadora? A AnalisaBR está pronta para ajudar.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer entrar na discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *